Abril 2020 | Educação Financeira

Como organizar as finanças?

Tempo de leitura: 2 minutos

De acordo com um recente relatório do Serasa Experian, um em cada cinco brasileiros estão inadimplentes. Além disso, há no país, pelo menos, 62,4 milhões de CPFs negativados, segundo a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

 

Qual a solução para quem está nesta situação? É possível falar em planejamento financeiro quando 80% (SPC) da população brasileira vive no limite do seu orçamento? Claro que sim! Planejamento e conhecimento ainda são grandes aliados de quem almeja ter uma vida financeira saudável. Confira dicas de como organizar as finanças:

Entenda. O primeiro passo para colocar a vida financeira em ordem é entender o tamanho da dívida e renegociar. Por isso, calcule todas as pendências e quanto de dinheiro entra. Se o seu objetivo é negociar e pagar as dívidas à vista, uma das opções de empréstimo podem ajudar nesse momento. 

Conheça. Aprender a colocar as próprias contas em um controle financeiro pessoal ou doméstico é muito importante para a tomada de decisões quando o salário cai na conta. Por isso, busque informações para gastar e aplicar seu dinheiro de forma correta.

Priorize. Quais são seus gastos fixos, que você não pode abrir mão? Coloque tudo em uma lista e separe os que não são tão importantes. Assim, você estará destacando o que é, de fato, prioridade no pagamento das dívidas, e será mais fácil entender onde cortar gastos. 

Movimente. Se o seu salário não está sendo suficiente, é hora de começar a fazer dinheiro. Oferecer roupas, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos, livros e até comidas (bolos, doces e quitutes) para parentes, vizinhos e amigos é uma boa saída para conseguir um dinheiro extra. A ideia é que esse valor seja guardado para unir ao salário. Volte à sua listinha de prioridades e comece a pagar as contas.

Esses passos exigem esforço e força de vontade para nadar contra a maré. Mas, em algum momento é preciso começar para, então, deixar de fazer parte das estatísticas dos milhões inadimplentes no Brasil. Vamos começar a mudar sua vida financeira hoje?