Fevereiro 2021 | Open Banking

Pix e Open Banking: As grandes inovações do mercado financeiro no Brasil

Tempo de leitura: 3 minutos

 

Em novembro de 2020, o Pix entrou em pleno funcionamento, e foi um verdadeiro sucesso. Apenas no primeiro mês de operação, o novo sistema de pagamento do Banco Central (BC) movimentou 78 bilhões de reais e registrou um intenso aumento de adesões e cadastros de chaves Pix.

A grande aposta do BC é que, além da economia que o Pix proporciona em relação aos TEDs e DOCs, a nova ferramenta amplia a aceitação por exigir menor estrutura e sistemas intermediários. 

Após a revolução realizada pelo Pix nas formas de pagamento, outra novidade se prepara para abraçar o mercado financeiro e a forma como o brasileiro lida com seu dinheiro: é o Open Banking, que já abordamos em outros posts. 

O Open Banking (Sistema Financeiro Aberto), que teve sua primeira fase iniciada no dia 01 de fevereiro de 2021, chega com o propósito de facilitar a migração do cliente de um banco para outro, ao contratar diferentes tipos de produtos ou serviços financeiros. 

O BC está criando um ecossistema que permitirá ao correntista de um banco liberar suas próprias informações com outras instituições. Dessa forma, para mudar a conta de um banco para outro, ou pedir um empréstimo de uma instituição concorrente, não será mais necessário começar o relacionamento do zero.

Portanto, os novos serviços do BC tocam em uma questão principal: diminuir burocracias e modernizar o sistema bancário brasileiro. Dividido em etapas, inicialmente, a ação do Open Banking visa troca de dados, mas em fases mais avançadas, instituições diferentes poderão usar um ambiente centralizado para fazer transações junto aos clientes.

As fases do Open Banking

1ª Fase.  Ativa desde 01 de fevereiro de 2021. Compartilhamento de dados públicos das Instituições Financeiras via API, como localização das agências, tipos de serviços, tarifas, canais de atendimento e outras informações;

2ª Fase. Início previsto a partir de 15 de junho de 2021. Compartilhamento de dados cadastrais e transacionais, como dados de conta corrente e demais informações dos clientes bancários. Essa fase já conta com a permissão dos brasileiros;

3ª Fase. Início previsto a partir de 30 de agosto de 2021. Compartilhamento de serviços, como pagamentos, oferta de crédito e outros. 

4ª Fase. Início previsto a partir de 15 de dezembro de 2021. Compartilhamento de dados de outros serviços, como informações de investimentos, serviços de seguros e outros. Somente neste momento, todas as pessoas terão acesso a nova estrutura que o Open Banking propõe.

banner-open-banking-botao.png